«A serenidade espiritual é o fruto máximo da justiça»
Epicuro
«Conhece-te a ti próprio e tu conhecerás o Universo e os Deuses»
Templo de Apolo em Delphos

Alquimia Espiritual - Grande Ordem Egipcia - Altos Graus do Rito Antigo e Primitivo Memphis Misraim - Maçonaria Portuguesa

É certo que os referidos não existem apenas no nosso corpo físico pois os nossos corpos emocionais e mentais têm camadas de percepção intimamente ligadas à secularidade materialista vigente.

O Caminho do Iniciado torna-se, então, mais estreito devido às circunstâncias. Acreditemos que essas circunstâncias são o Ouro da Imortalidade.

As experiências que o Espírito tem quando encarnado, quando em carne experiencia o mundo.

O triângulo ou a trindade: Espírito unido à Matéria que geram a Alma.

Segundo diversas Escolas de Iniciação Antigas da linha da Tradição, do Hermetismo, as experiências quotidianas que o Espírito tem através do seu Corpo Físico ou Denso, produzem a Alma que na sua tríplice unidade - intelectual, emocional e física, - se manifesta em Memória.

Das primeiras percepções e dessa memória se produzem as nossas reacções. Sabemos, de igual modo, e como tão bem demonstrou António Damásio, que o que nos incita à acção, e reacção, é o nosso Corpo Emocional ou Corpo de Desejos, que se interliga e interpenetra o Mental. Nesse sentido, a Memória da nossa Alma Única, porque cada um de nós é Original, facilmente pode oscilar entre: os desejos inferiores – egoísmo, paixões, e vícios; e, os Superiores – amor, generosidade e serviço.

Os metais vis da Personalidade versus o Ouro da Imortalidade da Individualidade Espiritual. Como “todos os metais são, realmente, ouro em formação e todos os seres humanos são, realmente, deuses em formação”, os antigos Alquimistas e Iniciados por Tradição Oral e Simbólica transmitem-nos que existe um processo de carácter químico para esta transformação da Natureza Inferior em Superior.

Nós, Almas Únicas, Pedras Vivas em aperfeiçoamento, poderemos criar o nosso Manto de Núpcias, o nosso Corpo de Luz – um Corpo Alma Dourado – “um veículo” que: nasce e cresce da purificação, purificando todos os outros corpos; e, que, simultaneamente nos transporta para os Mundos Invisíveis ou Internos. Debrucemo-nos apenas em como esta química do Corpo Alma nos transforma através da Purificação pois a forma como aceder a outros Mundos é uma consequência paralela e convergente desta Transmutação.

Chegados a este ponto é necessário relembrar que, segundo os Iniciados da Tradição, o nosso Corpo Denso é interpenetrado pelo Corpo Vital, o Duplo Éterico, que o vitaliza, purifica e reconstrói durante o sono, constituído por 4 éteres: o éter químico, responsável pela assimilação e excreção; o éter de vida, responsável pela propagação da vida; o éter luminoso, responsável pela criação dos órgãos dos sentidos; e, o éter reflector, sede da memória.

O nosso Corpo Alma nasce e desenvolve-se com a união dos dois éteres superiores, luminoso e reflector, unido aos Sentimentos Superiores e à Mente Abstracta Vivificada. Ao nascer e desenvolver-se, actua nos éteres químico e de vida, ou seja, na parte biológica do nosso Corpo Denso e na Energia Reprodutora – da Geração. Assim sendo, é através deste “veículo”, que acontece o Casamento Místico, entre o Rei e a Rainha – A Pineal e a Pituitária – duas glândulas que unidas por vibração despertam a Clarividência e o estado auditivo passivo para se receber os conhecimentos de boca a ouvido, de Mestre a Aprendiz. Nesta fase, já viajamos com discernimento e rigor nos Mundos Invisíveis, Internos.

Nós, Seres Humanos, enquanto modelo microcósmico do Macrocosmos, encerramos nos mistérios dos nossos Corpos Físicos, a arquitectura dos arquétipos das Hierarquias Criadoras. As que estão intimamente ligadas à nossa constituição e vibração atómica são as do Sistema Solar. Do Chumbo ao Ouro, de Saturno ao Sol.

Vamos, então, apreciar as características destes metais e sua purificação. Sublinha-se que o termo Purificação é de Imaculadas limpeza e iluminação.

Chumbo – considerado o metal mais inferior, de afinidade vibratória com Saturno / Cronos / Tempo – o que devora os filhos. Associado à fatalidade da morte, de todas as experiências de perda e de todas as provações. O Mestre através do sofrimento. Purificação através da aceitação, dignificação e perseverança. Vigilância para perceber o ensinamento oculto.

Estanho – as ligas de estanho estão ligadas à boa saúde, à prosperidade, à abundância e ao êxito. Afinidade vibratória com Júpiter – o magnânimo. Como a riqueza pode levar à desvalorização, à arrogância e à despreocupação pelo outro, a sua purificação aconselha-se através da gratidão e da generosidade sincera para o mundo. A Fama para divulgar o Bem, sendo o seu exemplo.

Ferro – metal de força anímica e de ferramentas de agressões. Afinidade vibratória com Marte – o espírito guerreiro. O Ferro encontra-se no sangue e permite que o Espírito funcione bem no Corpo Físico, na experiência mundana. No entanto, induz ao esquecimento da Centelha Divina no outro que passa a apresentar-se como o Adversário.

Purifica-se a natureza egoísta e conflituosa direccionando a energia guerreira para o auto-domínio, na busca de se assumir como um Guerreiro de Luz. Cobre – metal de afinidade vibratória com Vénus – planeta do Amor, da União.

Na sua expressão vil encontramos a luxúria, sensualidade, preguiça e, até, dominação possessiva de outro ser. Purificação através da compreensão, da harmonia na atracção, da Conciliação e da Fraternidade.

Mercúrio – metal de afinidade vibratória com Mercúrio. De características fugidias e incontroláveis como os pensamentos não “domesticados” que podem originar “pensamentos-forma” negativos e orgulho intelectual. Purificar através de exercícios de concentração, disciplina e de meditação em Ideais Elevados. Discernimento dos pensamentos e das palavras na comunicação com o outro.

Prata – metal de afinidade vibratória com a Lua. De características imaginativas e nutritivas. Purifica-se através do desenvolvimento de uma imaginação para a criação do bem de todos os seres e da nutrição do ambiente que nos rodeia através do espírito materno da nutrição com amor e boa vontade. “A prata viva” dos Alquimistas – O Elixir Vitae, intimamente ligado às responsabilidades domésticas.

Ouro – metal de afinidade vibratória com o Sol. Centro de poder irradiador, que se dá a si próprio para o bem comum. Quando vil gera despotismo, egocentrismo e inflação da Personalidade em detrimento da Individualidade. Esquecimento da Centelha Divina. Purifica-se através do uso Sábio e da Honra de elevar todos os outros, alimentando a Arte de cada um.

A Harmonia dos metais purificados assemelha-se à Harmonia das Esferas Planetárias, com poder musical para através da sua vibração produzir notas subtis. Que os nossos Corpos Alma entoem melodias e que o nosso olhar se espante ao vermos que tudo está vivo, que a Vida antecede e origina todas as formas em Beleza, que a sua Força energética é inalterável apesar de todas as transformações e que a sua Sabedoria é um Mistério infinito.

geral@memphismisraim.pt

Direitos reserv@dos. Este artigo não pode ser reproduzido parcial ou na totalidade sem consentimento escrito.